Chuvas aumentam o risco de proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika

Chuvas aumentam o risco de proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika

Com a chegada das chuvas, o risco de proliferação do mosquito Aedes aegypti no País aumenta e, consequentemente, cresce o risco de transmissão da dengue, chikungunya e zika.

De acordo com especialistas, a melhor forma de evitar essas doenças é eliminar os criadouros do mosquito transmissor, evitando o acúmulo de água em vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas.

No ano passado, o Ministério da Saúde notificou 1 milhão 544 mil 987 casos prováveis de dengue no Brasil.

As regiões Centro-Oeste e Sudeste apresentaram o maior número de registros. A maior concentração de casos prováveis foi em Minas Gerais, São Paulo e Goiás.

Alguns cuidados são importantes no dia a dia para combater a doença, como o uso de roupas que diminuam a exposição da pele durante o dia, horário em que os mosquitos são mais ativos.

Utilizar repelentes e inseticidas seguindo as instruções do rótulo também pode ajudar no combate. E o uso de mosquiteiros para aqueles que dormem durante o dia, como bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos.

Fonte: EBC

Ouça o áudio: Chuvas aumentam o risco de proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika

Deixe uma resposta