Corrida por medicamentos à base de cloroquina deixam doentes que precisam sem o produto

Corrida por medicamentos à base de cloroquina deixam doentes que precisam sem o produto

A divulgação de que medicamentos à base de hidroxicloroquina e cloroquina estariam sendo usados para o tratamento do coronavírus gerou uma corrida às farmácias, até mesmo por quem não apresenta nenhum sintoma da doença.

E segundo a Anvisa, apesar de promissores, não existem estudos conclusivos que comprovam o uso desses medicamentos para o tratamento da Covid-19.

Os Medicamentos são utilizados no tratamento de outras doenças, como artrite, lúpus e malária.


A advogada Ana Rosa faz uso diário de um remédio usado por portadores de Lúpus devido à dores e outras complicações. Ela relata que só tem mais oito comprimidos, e que já na próxima semana terá que interromper o tratamento porque não consegue encontrar para comprar.


“Eu procurei várias farmácias e todas me disseram que as pessoas foram enlouquecidas comprar esse medicamento. Ou seja, quem tem que tomar todo dia esse medicamento não tem mais acesso a ele. Até farmácia de manipulação não tem mais.”


A Apsen Farmacêutica produz um desses medicamentos. A empresa informa que milhares de pacientes que fazem uso crônico têm encontrado dificuldade para comprar o produto nas farmácias e drogarias. E destaca que vai aumentar a produção do medicamento.


Ana Rosa conta que o remédio tem sérios efeitos colaterais.


“Não é uma medicação que qualquer pessoa pode tomar, e tem muitos efeitos colaterais, inclusive pra visão. Eu faço tratamento com oftalmologista contínuo por causa da utilização desse remédio. As pessoas estão achando que podem usar assim, indiscriminadamente.”

A Anvisa alerta que, no momento, não há recomendação da Agência para a sua utilização em pacientes infectados ou mesmo como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus. Lembra ainda que a automedicação pode representar um grave risco à saúde.

Fonte: Por Renata Martins | EBC

Deixe uma resposta