Semana da Negociação e Orientação Financeira ocorrerá entre 2 e 6 de dezembro

Semana da Negociação e Orientação Financeira ocorrerá entre 2 e 6 de dezembro

O Banco Central e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) assinaram, nessa quinta-feira (21), um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para promover ações coordenadas de educação financeira, tema que faz parte da agenda estratégica da instituição, a Agenda BC#. No âmbito dessa iniciativa, a Semana de Negociação e Orientação Financeira ocorrerá entre 2 e 6 de dezembro em todo o país. Não haverá limites de valores, nem de modalidade para a renegociação de dívidas.

Durante o mutirão, 261 agências bancárias das capitais (do Bradesco, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander) terão seu horário de funcionamento estendido até as 20h. Nelas, o cidadão terá acesso a vídeos educacionais sobre orientação financeira e folhetos com dicas sobre o tema. A renegociação também estará disponível nas agências bancárias do interior do país. A lista completa pode ser acessada aqui.

Outra opção para a renegociação de dívidas cujo uso será incentivado pelo BC e pela Febraban durante o mutirão é o site consumidor.gov.br, serviço público que permite o contato direto entre consumidores e empresas para solucionar conflitos de consumo pela internet.

Durante a assinatura do acordo, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (na foto, à direita), disse que a iniciativa pode contribuir para que os brasileiros tomem decisões financeiras conscientes e bem informadas quanto à sua vida financeira, além de buscar um futuro melhor, realizar sonhos e se proteger de emergências. “As instituições financeiras possuem uma ampla capacidade de comunicação e conhecimento de seus clientes. Com a parceria, temos a possibilidade de levar ações de educação financeira a 144 milhões de pessoas (número de adultos com relacionamento bancário no país)”, afirmou.

O presidente da Febraban, Murilo Portugal (à esquerda na foto), parabenizou o empenho do BC na tentativa de facilitar o acesso ao crédito de forma responsável. “O sistema bancário brasileiro tem todo o interesse de participar desse tipo de desafio”, completou Portugal, ressaltando que a Federação também tem promovido uma série de projetos voltados à cidadania financeira.

Cooperação
O ACT prevê: intercâmbio de informações técnicas e prestação de apoio técnico-institucional, incluindo estudos e pesquisas; prestação de apoio técnico para a realização de eventos com o objetivo de fomentar a promoção da educação financeira voltada para clientes e usuários de produtos e serviços financeiros; e implementação de ações coordenadas para ampliar o alcance da educação financeira em território nacional.

Outros projetos que que estão no radar do ACT são o desenvolvimento de uma plataforma virtual de educação financeira, com um site e um aplicativo voltados ao assunto, e a implantação de um Índice de Saúde Financeira, que poderá auxiliar tanto o governo quanto a iniciativa privada no desenvolvimento de iniciativas relacionadas ao tópico.

Ainda no âmbito do ACT, está em estudo a criação de uma espécie de programa de milhagem financeira dentro da plataforma virtual. A ideia é conceder uma pontuação a cidadãos que participem de cursos de educação financeira, e que ela possa resultar em menor custo quando da contratação de serviços em uma instituição financeira, por exemplo.

Fonte: https://www.bcb.gov.br/detalhenoticia/389/noticia

Deixe uma resposta