Plano Nacional de Internet das Coisas, publicado por meio de decreto do governo, pode alavancar empregos no país

Plano Nacional de Internet das Coisas, publicado por meio de decreto do governo, pode alavancar empregos no país

Repórter Cintia Moreira

Para especialista, medida pode trazer mais produtividade e melhorar qualidade dos produtos; indústria deve ser setor mais beneficiado

O presidente Jair Bolsonaro publicou nesta semana um decreto que institui o Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT), que visa regular e estimular a tecnologia no país. O termo se refere à interconexão digital de objetos cotidianos com a internet. Com essa tecnologia, por exemplo, a geladeira estaria conectada à internet e poderia avisar o consumidor que o leite acabou.

O intuito é implementar e desenvolver a Internet das Coisas no Brasil, com base na livre concorrência e na livre circulação de dados, observadas nas diretrizes de segurança da informação e de proteção de dados pessoais.

Segundo o especialista em Internet das Coisas, Daniel Plotrino, o setor da indústria será o principal beneficiado.

“Essas tecnologias vão trazer muito mais produtividade, capacidade de entregar produtos mais customizados e qualidade, dentro disso daí também o processo de logística. Essas novas tecnologias têm capacidade de melhorar e otimizar muito o segmento de Logística. Ou seja, a gente receber os produtos em casa com mais rapidez e com o custo menor”, enfatiza.

O presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc), Flavio Maeda, comemorou a publicação do decreto e projeta um futuro econômico sólido para o país.

“A gente vê essa notícia com bastante otimismo, porque a Abinc participou desde o início da criação do Plano Nacional de IoT. Foi um plano, um estudo que foi muito bem feito e, que agora, todas as ações e políticas públicas que estavam dependendo da assinatura deste decreto vão ser habilitadas e vão ser postas em execução por um plano de ação, que já foi criado e que estava só esperando a assinatura do decreto. Então, a gente vê esta notícia bem propícia para o momento”, comemora.

As áreas de aplicação do Plano Nacional de Internet das Coisas no país serão definidas por prioridade, a partir de critérios de oferta, demanda e capacidade de desenvolvimento local. Elas serão selecionadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações nas áreas de saúde, cidades, indústria e rural.

O objetivo, segundo o Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT), é melhorar a qualidade de vida das pessoas, além de promover a capacitação profissional relacionada ao desenvolvimento de aplicações tecnológicas e à geração de empregos na economia digital.

Editor

Deixe uma resposta

× Como posso te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: