Médicos da USP inovam no combate ao câncer

Médicos da USP inovam no combate ao câncer

Médicos pesquisadores da USP de Ribeirão Preto, no interior paulista, realizaram com sucesso um tratamento para combater células cancerígenas de linfoma.

O tratamento já é feito nos Estados Unidos como último recurso para tratar linfomas e leucemias avançadas, e o índice de cura chega a 80%.

Aqui no Brasil, a pesquisa foi feita pelo Centro de Terapia Celular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, com apoio da agencia de fomento à pesquisa de São Paulo, a Fapesp.


Nessa técnica, o linfócito “T”, do próprio paciente é modificado dentro de um laboratório para que possa reconhecer e atacar as células cancerígenas. Depois, essas células são introduzidas de volta no paciente.

Os pesquisadores relataram que um paciente de 62 anos, que tinha experimentado quatro tratamentos contra o câncer sem sucesso, foi submetido a nova técnica no dia 9 de setembro e 20 dias depois os exames já não detectavam mais as células cancerígenas em seu organismo.

No entanto, o médico e pesquisador Renato Cunha afirmou que somente passados trê meses do tratamento é que se poderá afirmar se a cura foi parcial ou total. O coordenador do Centro de Terapia Celular, o médico hematologista Dimas Tadeu Covas afirmou que a técnica desenvolvida pode servir para curar outras doenças.

No momento o único laboratório no país com autorização para fazer a terapia celular contra o linfoma ou leucemia é o de Ribeirão Preto, que tem capacidade de atender somente um paciente por mês. Covas afirma que o conhecimento já está disponível e que bastam investimentos para que essa cura possa ser produzida em larga escala.

A pesquisa deverá incluir mais 10 pacientes nos próximos seis meses e antes de ser disponibilizado no SUS deverá cumprir os requisitos regulatórios da Anvisa.

Fonte: EBC

Áudio: Médicos da USP inovam no combate ao câncer

Deixe uma resposta